QUEIJOS: Prima Donna Azul


Esse é mais um dos queijos holandeses especiais que são comercializados no Brasil.
O Prima Donna Azul é constituido em formas de aproximadamente 12 Kg, apresenta 45% de gordura, e possui cura de aproximadamente 17 semanas.
Seu sabor é forte com aroma requintado.
Suas peças tem estrutura com pequenos buracos. 
Prima Donna é por excelência um queijo de culinária.
 Sem que este fique mal sobre uma saborosa fatia de pão, este queijo sobressai melhor nas receitas com o temperamento do sul e do sol quente ou frio. 
Existem diversas formas de apreciar o Prima Donna Azul, sendo possível lascá-lo, utilizá-lo em lanches a partir de fatias, finalização de pratos tanto ralado como em pedaços, etc.
.

QUEIJOS: Boursin


O queijo Boursin é um produto de formato pastoso ou semi cremoso, podendo ser encontrado com ervas, especiarias e frutas, podendo apresentar características salgadas, adocicadas e em sua forma natural.
O sabor é suave, ligeiramente ácido podendo tender ao ácido. Sua massa é crua. 
É um queijo com indicação de consumo rápido, pois trata-se de um produto fresco com validade comercial curta.
O tipo de coagulação é que determinada o tipo de consistência do queijo, por exemplo, quando se coagula o leite com coalho a massa tende a ficar mais firme, menos porosa e mais seca. Ao contrário que ocorre na fermentação lática (uso de fermento lático para coagular), a massa fica mais úmida, mais porosa, menos consistente (caso do Boursin).
O Boursin é um exemplo dos famosos "fromage frais" franceses, que pode ser elaborado com leite de vaca ou leite de cabra.


QUEIJOS: Calcar


Um dos produtos de maior comercialização nos últimos anos em matéria de queijos importados é o Queijo Uruguaio Calcar, produzido pela Cooperativa Carmelo, voltou a ser comercializado no Brasil, depois de um longo período de falta.
Esse queijo é um dos mais atraentes em matéria de aroma e paladar, sendo um queijo firme de estrutura quebradiça, podendo ser utilizado em lascas, ralado ou em fatias.
Possui coloração amarelada e sua forma é envolvida em parafina preta o que realça sua sofisticação. Matura por aproximadamente 8 meses, fato que lhe confere cristais de sal em toda a sua estrutura.
Esse é um queijo campeão e que merece uma atenção especial, pois devido as suas características e a persistência de seu sabor, fica entre um dos melhores comercializados hoje em dia.


Espero que experimentem e tenho certeza sobre que irão gostar....

QUEIJOS: Maasdam



O Maasdam é mais um dos queijos Holandeses de alta procura no Brasil.
Sua forma cilíndrica de aproximadamente 12 queijo é um convite a desgutação e o prazer dos queijos. Criado na cidade de Maasdam, Holanda, esse queijo lembra e muito os queijos de desenho animado, pois normalmente é cortado em cunhas e seu interior possui inúmeros buracos, grandes e consistentes, característica marcante deste queijo.
Esse queijo tem estrutura firme, com fácil corte devida a sua cura mediana. 
Seu sabor lembra algo como nozes, por vezes adocicado e muito requinte. Nota do comentarista: "Quem come, jamais esquece seu sabor".
Acompanha vinhos, pode ser apreciado sozinho como aperitivo ou mesmo uma tábua de frios, incorporando seu sabor único. Deve ser usado também, na gastronomia, como queijo para sanduíches, gratinar, ou até mesmo no fondue.

QUEIJOS: Vincent


Este é um dos queijos mais apreciados na atualidade, resultado de vários fatores que o colocam no topo dos queijos holandeses comercializados no Brasil, tanto pela sua textura, como pelo sabor pronunciado.
O queijo Vincent é da mesma família do Prima Donna e do Old Dutch Master. Os fatores que o diferencia dos demais são:
Tempo de Maturação: Aproximadamente 17 semanas
Textura: Queijo maduro, com pequenos cristais de sal em sua estrutura, resultado da maturação. 
Sabor: Suave, com paladar refinado.
Queijo versátil, podendo ser utilizado com aperitivo, servido em lascas, como também pode ser derretido e acompanhar lanches e pratos de massa.
Acompanhamento ideal para vinhos, principalmente jovens do Chile e Argentina, como exemplares italianos, Chianti e Valpolicella.
Seu corte é macio e não há necessidade de grande esforço para lascá-lo ou fatiá-lo.
Se você quiser informações de onde encontrá-lo, clique em Lojas e empórios, ou se você quiser saber quais os Bares que vendem esse queijo.


História:
O nome desse queijo veio do pintor Holandês Vincent Van Gogh, considerado um dos maiores artistas do mundo, teve uma vida conturbada, considerado por muitos um fracassado, pois não conseguiu constituir família, não conseguiu custear sua própria subesistência e nem mesmo mater contatos sociais. Acomedido de doença mental aos 37 acabou suicidando-se. 
Obteve fama somente após sua morte, quando em 1901, 71 de suas obras forma expostas em Paris.
Considerado o pioneiro na ligação das tendências impressionistas com as aspirações modernas, hoje é referenciado no campo do abstracismo, expressionismo, entre outros.
Encontra-se em Amsterdã o museu Van Gogh, totalmente dedicado aos seus trabalhos e de seus contemporêneos.
Viu, queijo também é cultura!!!

QUEIJO: Asiago


O Asiago é um queijo italiano, produzido em Asiago, província de Vicenza, região do Vêneto. 
A região se tronou famosa em função de seu queijo e não pela batalha travada na Primeira Guerra Mundial entre os Austríacos e os Italianos.
 Este queijo é produzido a partir de leite cru de vaca, tem formato cilíndrico e em geral pesa de 8 kg a 20 kg. Quando jovem, ele possui uma casca lisa e amarela que passa para o amarelo escuro conforme envelhece.
O queijo asiago é produzido de duas formas:
Pressato, elaborado com leite integral e curado por 20 a 30 dias, com coloração amarelo-claro, textura elástica e com sabor e fragrância doce e delicada.

d'Allevo é maturado e elaborado com leite desnatado, com longo processo de maturação(cerca de um ano) e resulta em um queijo frutado, levemente picante, de textura granulosa e compacta. No seu interior encontram-se pequenos buracos. Depois de maturado por 2 anos, se torna quebradiço.

QUEIJOS: Canastra


É muito bom falar de queijos importados, do tipo holandeses, franceses, italianos, suiços, mas precisamos também valorizar o que é nosso, por isso, depois de ler uma matéria resolvi falar sobre o queijo da Canastra.
Este queijo amarelo, de forma circular, pequeno, pode apresentar diversos aromas, texturas e sabores, variando sobre o seu tempo de cura ou maturação.
Este produto tem mais de 200 anos de produção na região mineira da Serra da Canastra, no sudoeste do estado.
É feito com o leite ainda cru, um processo semelhante ao do queijo da Serra da Estrela de Portugal, tendo sua receita derivada desta iguaria tão apreciada mundialmente. Este é mais um dos inúmeros produtos trazidos de Portugal, e sua receita também.
O processo de produção é complexo e trabalhoso, mas o queijo, devido a sua importância, é considerado Patrimônio histórico pelo IPHAN  e já possui um projeto em trânsito para que a região receba uma Indicação Geográfica Canastra, o que aumentaria o reconhecimento deste produto tão nacional.
Podemos enumerar várias características para cada tipo de maturação do queijo, como amendoado, amanteigado, arenoso, picante etc.
Se você tiver a oportunidade de experimentar esse queijo, faça, pois devido as normas de produção, alguns pequenos produtores só podem comercializar esse produto em suas terras, por não se adequarem a legislação vigente.

Experimente e ajudem a divulgar mais esse patrimônio nacional....

O que você procura...

Carregando...